pre parto, gravidez, pos parto

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mamã tranquila

Vamos falar de preparação para o parto, parto, recém-nascido e todo o tipo de assuntos relacionados com este tema...

mamã tranquila

Vamos falar de preparação para o parto, parto, recém-nascido e todo o tipo de assuntos relacionados com este tema...

GRAVIDEZ


Mamã Tranquila

28.03.18

sequencia-cópia-alta (1).jpg

GRAVIDEZ – 4 A 8 SEMANAS

 

Por esta altura, surgem os primeiros sintomas associados à gravidez. Ao longo das próximas semanas, acontecem diversas alterações hormonais. À medida que o embrião cresce e se desenvolve, o nosso corpo trabalha e adapta-se às necessidades nutricionais do embrião e ao crescimento no útero.

SINTOMAS DA GRAVIDEZ, entre os mais frequentes:

AUSÊNCIA DE MENSTRUAÇÃO

Quando se está grávida, os ovários cessam a produção de  óvulos e o ciclo fica suspenso até ao nascimento do bebé.

NÁUSEAS E VÓMITOS

As náuseas e vómitos nas primeiras semanas são muito comuns, entre 50 a 90% das grávidas tendem a ter.

As náuseas e vómitos aparecem por volta das 5-6 semanas e desaparecem após as 12-16 semanas. No entanto, algumas mulheres podem ter este sintoma até ao final da

TENSÃO MAMÁRIA

O aumento da produção hormonal – hormonas HCG (Gonadotrofina Coriónica Humana), progesterona e estrogénios – provoca o aumento da sensibilidade mamária. As mamas ficam mais tensas, firmes e dolorosas. Podemos notar um aumento do seu tamanho.

CANSAÇO

Durante o primeiro trimestre podemos nos sentir mais cansadas e sonolentas. Normalmente melhora no segundo trimestre.

Nesta altura devemos ter a primeira consulta com o médico de família ou com um obstetra.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

Por volta das 5-6 semanas já é possível observar os batimentos cardíacos do pequeno embrião. A frequência cardíaca do embrião anda entre os 120 e 160 batimentos por minuto.

Semana 8 –  o embrião tem um tamanho aproximado de um feijão.

 

GRAVIDEZ – 8 A 12 SEMANAS

 

O NOSSO CORPO, SINTOMAS E EXAMES

Até às 12 semanas, podemos continuar a náuseas e vómitos. A tensão mamária poderá ter diminuído.

Durante o primeiro trimestre, fase mais delicada do desenvolvimento embrionário, devemos manter ou iniciar a toma de ácido fólico.

Entre as 11 semanas e as 13 semanas faz-se a primeira ecografia da gravidez 

Opcionalmente, ser realizado o teste de rastreio da Síndrome de Down ou Trissomia 21, também designado rastreio combinado do primeiro trimestre, rastreio bioquímico ou rastreio pré-natal.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

  • Às 10 semanas, o embrião tem uma forma cada vez mais humana, com cabeça, tronco e membros. Como a cabeça ainda é desproporcionada em relação ao corpo,
  • O bebé já se movimenta e os órgãos continuam a desenvolver-se;
  • Os dedos começam a formar-se e os ossos a definirem-se. Os órgãos genitais externos também estão em formação.

Às 12 semanas, o embrião passa a chamar-se feto e tem o tamanho aproximado de uma lima.

 GRAVIDEZ – 12 A 16 SEMANAS

O período mais sensível do desenvolvimento embrionário está ultrapassado. A partir desta fase, o feto começa a crescer e a ganhar peso e, em breve, a roupa deixará de servir principalmente na cintura.

A partir das 16-18 semanas, as necessidades de ferro aumentam e o médico poderá ponderar a sua suplementação em conjunto com o ácido fólico.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

  • A cabeça ainda é maior que o corpo;
  • O rosto começa a ser modelado;
  • Os genitais externos estão definidos;
  • O sistema nervoso está em desenvolvimento;
  • O aparelho urinário está formado e começa a produzir urina
  • O feto já é capaz de engolir o líquido amniótico;

Semana 16 –  tem o tamanho aproximado de uma pera abacate.

 

GRAVIDEZ – 16 A 20 SEMANAS

 

O NOSSO CORPO, SINTOMAS E EXAMES

Por volta das 18 semanas pode-se começar a sentir os primeiros movimentos do bebé. No entanto, nem todas as mães sentem os seus bebés no mesmo período. Podendo baralhar esses movimentos com os intestinais e não se notar que é o bebé a mexer-se.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

  • Começam a surgir os primeiros pêlos;
  • Todos os órgãos internos de feto estão formados;
  • O feto movimenta-se com facilidade:

Semana 20 –  tem o tamanho aproximado de uma banana.

 GRAVIDEZ – 20 A 24 SEMANAS

O NOSSO CORPO, SINTOMAS E EXAMES

A barriga cresceu e mais do que nunca todos vêm que estamos grávidas. O útero estende-se até à altura do umbigo.

Entre as 20-22 semanas temos a segunda ecografia da gravidez ou ecografia morfológica. Esta ecografia é uma das mais importantes da gestação porque permite ao técnico avaliar as estruturas anatómicas do bebé e detetar eventuais malformações.

É nesta ecografia que se consegue desvendar o sexo do bebé a não ser que ele malandreco se coloque de uma forma que não possibilite tirar conclusões.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

  • O bebé desenvolve ciclos de sono e vigília próprios e independentes dos da mãe;
  • A cabeça torna-se cada vez mais proporcional comparativamente ao tronco e membros;
  • Começam a surgir as sobrancelhas e os cabelos;

Semana 24 –  tem o tamanho aproximado de uma maçaroca de milho.

 GRAVIDEZ – 24 A 28 SEMANAS

Nesta altura, já conseguimos sentir os movimentos do bebé sem qualquer dúvida. A barriga cresce visivelmente e é um orgulho.

Podemos sentir as pernas mais cansadas e pesadas. O uso de meias de compressão ajuda a diminuir o desconforto e tem uma ação preventiva dos derrames e varizes.

É normal que nesta altura, já não termos uma posição para dormir e acordar várias vezes durante a noite para ir à casa de banho.

Experimentar dormir deitada com uma almofada entre as pernas para ajustar a posição das pernas face ao útero.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

  • Os sentidos estão em desenvolvimento: audição, tato, olfato e paladar;
  • O bebé começa a engordar e a acumular gordura por baixo da pele;
  • Reage a estímulos externos (música, voz, luz intensa);

 

Semana 28 –   tem o tamanho aproximado de uma beringela grande.

 

GRAVIDEZ – 28 A 32 SEMANAS

 

À medida que o peso e o volume da barriga aumentam e o cansaço se acumulada

É natural que começar a sentir as contrações de Braxton-Hicks, ou falsas contrações, que preparam o seu corpo para o grande dia.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

  • O bebé pode dar a volta, virando-se de cabeça para baixo;
  • O cérebro contínua a desenvolver-se;
  • Os pulmões estão mais maduros Os ossos estão completamente desenvolvidos;
  • A quantidade de líquido amniótico vai diminuindo e o feto ocupa cada vez mais espaço;
  • A medula óssea substitui o fígado e o baço na produção de glóbulos vermelhos;
  • Reage a estímulos sonoros, à dor, sabores e cheiros;
  • Abre e fecha os olhos;

Semana 32 – tem o tamanho aproximado de uma meloa.

 

 GRAVIDEZ – 32 A 36 SEMANAS

Nesta fase, o aumento de peso pode provocar o cansaço ao fim do dia  e pés inchado. Podemos sentir dificuldade em dormir por não ter posição para adequar a posição da barriga.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

  • Nos pulmões, os alvéolos estão em desenvolvimento;
  • A maioria dos órgãos estão a funcionar;
  • Os ossos tornam-se mais espessos e alongados;
  • O sistema imunológico está em desenvolvimento;
  • O bebé produz mecónio (substância líquida esverdeada que será eliminada do intestino do bebé depois do nascimento);
  • O bebé reconhece a voz da mãe;
  • Os movimentos são frequentes e amplos;

Semana 36 – tem o tamanho aproximado de uma melancia

 GRAVIDEZ – 36 A 40 SEMANAS

Ás 38 semanas o bebé está preparado para nascer a qualquer momento.

 

DESENVOLVIMENTO DO BEBÉ

O bebé mede cerca de 50 centímetros e pesa pouco mais de três quilos.

Semana 40 – tem o tamanho aproximado de uma abóbora menina.

Massagem Perineal


Mamã Tranquila

26.03.18

como-fazer-uma-massagem-perineal-1.jpg

Massagem perineal, é ainda um assunto pouco falado na preparação para o parto. No entanto, cada vez mais as grávidas que procuram um parto mais natural, começam a estar mais atentas e a utilizar cada vez mais esta técnica, de forma a trabalhar a regiao perineal para a passagem do bebé, prevenindo as lacerações e impedindo a episiotomia.

Mas afinal o que é?

É um tipo específico e delicado de massagem realizada na região genital feminina ou, mais especificamente, na região do perineo.

A FAME (Federação de Associações de Parteiras de Espanha) reconhece que a massagem perineal durante a gravidez reduz o trauma perineal (episiotomias e lacerações) durante o parto.

 Embora ao inicio esta técnica possa ser desconfortável ou até difícil de praticar, os seus benefícios são muitos, já que aumenta a elasticidade do períneo, ajuda a evitar e/ou minimizar a presença de trauma durante o parto.

A percentagem de episiotomias que se pratica atualmente supera em muito o aconselhável. Segundo a OMS: “A episiotomia sistemática não é totalmente justificada. Deveriam ser estudados outros métodos de proteção do períneo para virem a ser adotados se foram confirmados válidos”.

As recomendações da OMS dizem que não há evidência clara e demonstrável de que o uso rotineiro da episiotomia tenha um efeito benéfico sobre a mulher e que taxas superiores aos 30% não estão justificadas.

 

Massagem perineal durante a gravidez

A FAME publicou recentemente um documento de consenso para a iniciativa do parto normal. Neste documento reconhece-se que a massagem perineal durante a gestação é efetiva para reduzir o trauma perineal e as episiotomias.

A aplicação da massagem durante o terceiro trimestre de gestação ajudar a esticar e suavizar os tecidos, aumentar a elasticidade do períneo e familiarizar a mulher com a sensação de esticamento, permitindo relaxar mais esta zona durante o parto.

É certo que a aplicação da massagem perineal pode ocasionar desconfortos durante as primeiras semanas, mas estes irão desaparecendo gradualmente. Para evitar esse desconforto, deve iniciar a técnica sem forçar os movimentos dando tempo aos tecidos para que se habituem à massagem. Existem muitas mulheres que têm bastante dificuldade de adaptação à massagem, pelo que é necessário a colaboração do companheiro na técnica, favorecendo assim os períodos de intimidade entre eles.

Não devemos esmerar-nos para realizar uma técnica perfeita da massagem, é bem mais importante a perseverança no seu seguimento. A própria mulher e o seu companheiro verão os efeitos rapidamente, observando como o seu períneo cada vez é capaz de alcançar uma maior distensão dos tecidos com menos desconforto.

 

O lubrificante

A massagem pode ser aplicada com diferentes lubrificantes, os mais utilizados são o óleo de rosa de mosqueta, o óleo de amêndoas doce, óleo de coco e o azeite de oliveira.

massagem oleo (2).png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como se realiza a massagem?

  • Lavar bem as mãos. As unhas devem estar cortadas e limpas.
  •  Esvaziar a bexiga de urina antes de começar. Familiarize-se com o seu períneo. Usar um espelho pode ajudar.
  • Aplicar compressas aquecidas ou realizar a massagem depois de ter tomado duche.
  • Posicionar comodamente. Pode-se optar por estar de cócoras, semi-sentada ou apoiada na parede.
  • Se realizar automassagem é mais fácil utilizar o polegar. Para o companheiro o mais provável é ser o indicador ou o anelar. Lubrifique os dedos com um óleo antes de começar.

Como fazer

- Introduzir os dedos na vagina 3-4 cm, pressionando para baixo e para os lados da vagina com um movimento giratório firme e delicado, esticando a zona até que sinta uma leve sensação de ardor. Com a continuação deslize o dedo da vagina para fora e vice-versa, mantendo uma ligeira pressão durante alguns minutos.

- Colocar os dedos na entrada da vagina e realize uma pressão para baixo durante dois minutos ou até que se sinta desconfortável. Isto ajudará a imaginar a pressão que a cabeça do bebé exercerá.

- Depois pegue esta zona entre o dedo polegar e os opostos, como se fosse uma pinça, e realize um movimento de vaivém de um lado para o outro, para esticar o tecido da entrada da vagina e a pele do períneo. Realize este movimento durante 2-3 minutos.

Para terminar, mantendo os dedos na mesma posição, realize esticamentos de dentro para fora abrangendo a zona inferior e lateral da vagina e a pele do períneo, durante 2 minutos. Isto ajudará a relaxar a zona.

A frequência da massagem será de 3 vezes por semana durante 10 minutos. Deve ser realizada pelo menos 3 semanas a partir da 34ª semana de gestação.

massagem imagem.jpg

Deixo-vos também alguns videos explicativos

 

Mamas, maminhas, mamocas


Mamã Tranquila

24.03.18

como-cuidar-dos-seios-durante-a-gravidez_28588_l.j

MAMAS MAIS VOLUMOSAS,É UM DOS PRIMEIROS SINAIS DE GRAVIDEZ. ALGUMAS MULHERES ESTÃO FELIZES POR ISSO, e os maridos também, OUTRAS NEM por isso…

MAS, EM TODO O CASO, PRECISAMOS DE CUIDAR DELAS E DAS SUAS MODIFICAÇÕES DE TAMANHO QUE DANIFICAM A FIRMEZA, DESDE OS PRIMEIROS DIAS DE GESTAÇÃO.

 

A natureza sabe o que faz, desde o início da gravidez, as alterações hormonais aumentam o tamanho das condutas e das glândulas das mamas para prepará-las para a amamentação. Como consequência, as mamocas evoluem, a sua rede de veias azuladas tornam-se mais percetíveis, a pigmentação em volta do mamilo pode tornar-se mais intensa e uma sensação de tensão emerge, podendo ser por vezes dolorosa. Tudo completamente normal.

Também é normal, dependendo do nível hormonal, o tamanho das mamas aumentar, dependendo de mulher para mulher. As mudanças são ligeiras em algumas grávidas e muito expressivas para outras, mas as vossas mamas irão atingir o seu volume máximo alguns dias após o parto, com a descida do leite.

As mamas não são sustentadas por nenhum músculo, a sua manutenção depende da tonicidade da sua pele. Esta vai ser posta à prova durante os nove meses.

 O aumento abrupto do volume da mama prejudica a elasticidade da pele e ao mesmo tempo causa desconforto.

Assim, desde o início da gravidez e até terminar a amamentação é fundamental cuidar muito bem dessas maminhas, massajando-o com um cuidado específico.

Este ritual de beleza diário protegerá a elasticidade da pele e vai estimular a produção de fibra, oferecendo um efeito de hidratação mais profunda e acalmando a reatividade da pele causada pela alteração de volume.

Cuidar regularmente, das vossas mamas escolhendo fórmulas adequadas à gravidez, que excluam ingredientes desaconselhados (parabenos, ftalatos, fenoxietanol, cafeína, bisfenol A e S, álcool) e que sejam compatíveis com a amamentação, se necessário.

No que se refere a massagem, esta deve ser feita suavemente em torno das mamas, de dentro para fora, deslocando-se gradualmente para cima na direção do pescoço. Como um procedimento preventivo, este ritual pode ser em conjunto com um cuidado para a prevenção das estrias, pois as mamas apresentam grande tendência para as desenvolver devido às mudanças hormonais e a distensão súbita da pele. 

Devido às leis da gravidade, as vossas mamocas que estão cada vez maiores tendem a puxar o busto para a frente.

 Uma postura encurvada irá danificar o tónus muscular peitoral, levando a dores nas costas. Além de usar um cuidado específico, não se esqueçam de adotar uma postura corporal correta, para evitar a tensão mamária, no pescoço e nos músculos superiores das costas.

 Para tonificar os músculos, pratiquem o seguinte exercício durante alguns minutos por dia:

 - com os cotovelos à altura dos ombros, pressione as palmas das mãos juntas enquanto inspira, mantenha a pressão durante três segundos, descontrair enquanto expira e repitir o exercício cerca de quinze vezes.

 

Vão ficar com umas mamocas 5 estrelas...

Barriguinha hidratada


Mamã Tranquila

24.03.18

meses-gravidez.jpg

Na gravidez, a pele da mamã pode ser colocada à prova, principalmente devido às alterações hormonais e ao aumento de peso.

No entanto, cada gravidez é única, e as alterações fisiológicas na pele podem até passar despercebidas ou serem nulas.

Embora a nossa pele ser naturalmente flexível, o aumento de peso e as alterações hormonais que a gravidez provoca impõem dela uma maior elasticidade. 

As estrias resultam do estiramento da pele para além dos seus limites, sobretudo quando este estiramento ocorre de forma rápida. Barriga, seios, nádegas e coxas são as áreas mais afetadas. Para além de uma boa vigilância da gravidez, com o controlo da evolução ponderal, o cuidado essencial para prevenir as estrias passa por garantir uma boa hidratação da pele.

Numa primeira fase da gravidez, o creme hidratante deve ser aplicado pelo menos uma vez por dia.

Depois do hidratante, deve aplicar-se o creme anti-estrias. Este cuidado adicional é essencial, uma vez que os cremes anti-estrias têm na sua composição substâncias próprias que evitam a deterioração das fibras de colagénio e elastina, tornando a pele mais flexível, hidratada e homogénea, e preparando-a para as necessidades da gravidez. 

Estes mesmos cuidados não devem ser parados, mas antes acrescidos, depois de o bebé nascer. Sendo que no último trimestre de gravidez, e no primeiro mês após o parto, o creme anti-estrias deve ser aplicado duas vezes ao dia, para dar todos os nutrientes necessários à pele para ela estar, à partida, o melhor preparada possível para o estiramento inevitável que existe.

A escolha do creme, deve-se ter em conta a sensibilidade de cada pele, assim como o aroma, porque pode causar náuseas ás gravidas se for intenso.

Com estes cuidados, as vossas barriguitas vão crescer lindas e formosas… e encher-vos de muito orgulho.

Deixo algumas imagens de cremes

cremes.png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O que levar...


Mamã Tranquila

22.03.18

Maternidade.jpg

A famosa mala da maternidade...

Normalmente, é algo que começamos a preparar umas semana antes de ir para o hospital, e convém porque no próprio dia não vai dar grande jeito. 

Não vão para férias, logo repensem no que estão a pensar levar, sabendo que em caso de necessidade extrema o marido pode entregar depois.

Deve-se ter a mala preparada a partir das 32 semanas, de forma a estar tudo em ordem, quando chegar o grande dia.

Quando der entrada no hospital, a mala pode ficar no carro, pois só era para o pé de si quando estiver no quarto. Sendo assim, aconselho apenas levar duas malinhas (uma para si outra para o bebé).

Ficando a primeira roupa que querem vestir ao filhote em separado para entrar para o bloco de partos, juntamente com a mãe.

 

PARA A MÃE:

 

  • Boletim da grávida (analises e ecografias)
  • 2 Camisas de noite ou pijamas com abertura à frente (para facilitar a amamentação)
  • Robe + chinelos de quarto + chinelos de banho
  • Soutiens de amamentação (deve comprar o numero acima) + discos de amamentação + bicos de silicone (se necessário)
  • Pensos higiénicos ou fraldas de incontinência (agora na moda, falarei mais tarde disto)
  • Cuecas/cuecas descartáveis
  • Toalha de banho e/ou rosto (se preferir as suas)
  • Objectos de higiene pessoal (escova e pasta de dentes, escova cabelo, gel, champô, cremes hidratantes)
  • Fita ou elástico para o cabelo
  • Telemovel e carregador
  • Roupa de regresso a casa (de grávida)

 

PARA O BEBÉ:

 

Para que seja mais fácil durante o internamento, o ideal é criar conjuntos e dividi-los por dias (1º dia, 2º dia…), no entanto podem levar mais algumas roupas interiores extras.

As quatro mudas devem conter: 

  • Body ou camisola interior (2 peças)
  • Calças com pé
  • Babygrows ou cueiros
  • Casaco de lã ou linho (dependendo da época do ano)
  • Meias ou botinhas de lã
  • Gorro

 Para além disso: 

  • Fraldas de pano (2 ou 4)
  • Toalhas de banho (1 ou 2)
  • Mantinha

NÃO ESQUECER NO DIA DA ALTA O PAI TEM DE LEVAR "OVINHO"

 

Normalmente as maternidades tem listas próprias que entregam aos casais no dia da visita, ou então o que não faltam são sites, blogs e afins que falem disso e podem sempre imprimir.

Divirtam-se... é um momento engraçado

 

Caminhar para o dia D


Mamã Tranquila

20.03.18

Com o passar das semanas, a contagem decrescente começa, principalmente quando chegamos ás 36 semanas. Começamos a ficar um pouco mais ansiosas e por vezes desejosas que chegue logo dia de conhecermos o nosso filho. No entanto, ficamos sempre com dúvidas quais são os sinais que nos faz levar ao hospital.

Aconselho todos os futuros papás a conhecer o hospital onde vão parir, além de conhecer fisicamente o espaço ficam a saber onde se dirigir e todos os procedimentos a realizar, desta forma é menos um factor que criará ansiedade.

Os sinais de parto, podem aperecer em separado ou em simultaneo, senso assim:

Lista-Maternidade-01.jpg

 

Um mês antes do parto, o seu corpo começa a preparar-se para o grande dia.

Ao saber quais os primeiros sinais e sintomas, saberá que a hora de conhecer o seu bebé está próxima.

 

São eles:

 

  • EXPULSÃO DO ROLHÃO MUCOSO – é a eliminação de um muco gelatinoso

rosado ou acastanhado. A sua expulsão, pode acontecer dias ou/e horas antes do trabalho de parto.

Por si só não é um sinal, que a leve de imediato ao hospital. No entanto ficamos atentos, pois não vai tardar muito. 

 

  • ROTURA DA BOLSA – saída do liquido amniótico, devido à ruptura das membranas. Pode ser pouco ou abundante. Deverá ter uma cor transparente. Nesta situação, devem dirigir-se ao hospital num intervalo de mais ou menos 2 horas. Dando tempo para se organizarem com tranquilidade

 

NOTA: se o liquido tiver cor, deve dirigir-se de imediato para o hospital.

 

  • CONTRAÇÕES UTERINAS REGULARES – começa-se por sentir a barriga rija com dor associada, ficando mais regulares, intensas e próximas. Deve contabilizar os intervalos das contracções e quando estas tiverem intervalos 5 em 5 minutos (tendo em conta a distância que estão do hospital), deve dirigir-se para o hospital. Se ajudar podem lembrar-se deste número 511, corresponde a:

contrações de 5 em 5 minutos, com duração de 1 minuto durante 1 hora

 

Tendo conhecimento dos sinais, de certo que quando o grande dia chegar, vão estar preparados para finalmente conhecer o novo membro da familia.

parto dia.jpg

 

 

 

 

Nasce um Pai


Mamã Tranquila

19.03.18

01OMeuPaiÉOMelhorDoMundo-620.jpg

Porque hoje é um dia especial... falamos do PAI

Cada vez mais o pai é papel activo na parentalidade, desde o acompanhar a gravidez até ao grande dia do nascimento.

Tenho reparado o quanto estão mais envovidos nesta grande aventura que é ter um filho, nos cursos que dou de preparação para o parto são extremanente atenciosos e participativos, por vezes mais que as mães. Gostam de questionar tudo e praticar quando podem. São sem dúvida nenhuma um elo fundamental no trabalho de parto, ao ajudar a futura mamã a controlar a respiração, a dar carinho, a saber ouvir, a ajudar na fase final do parto.

Dos partos todos que fiz, foram sempre diferentes as reações, desde aquele que fica apático, ao que chora, ao que ri, ao que tira fotos, aquele que liga a todos, ao que corta o o cordão umbilical...

Seja qual for a sua reação é sempre maravilhoso poder vivenciar o nascimento de um filho e de um pai naquele momento.

Palavras que são ditas que nos aquecem o coração e nos enaltecem a alma, ver o amor incondicional que acaba de emanar.

A todos os pais um dia super feliz.

Em especial ao MEU, por ser o melhor do universo.

E ao meu maridão por ser o MELHOR PAIZAO do planeta terra.

Cursos de Preparação para o Parto


Mamã Tranquila

17.03.18

barriga maos.jpg

Tem dúvidas sobre a importância de frequentar o curso de preparação para o parto? Conheça algumas das suas vantagens.

 

A IMPORTÂNCIA DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O PARTO

Os curso de preparação para a parentalidade foram criados em Inglaterra no início do século (XX), entre nós, o boom ocorreu a partir do ano 2000.

Cada cursos têm conteúdos diferentes mas, no fundo, todos se destinam a ajudar a mulher, preferencialmente o casal, a compreender o que irá acontecer no momento em que aparecem as dores, a entender o trabalho de parto e parto, ensinar-lhes algumas técnicas físicas e psíquicas para que possam participar ativamente nas diferentes fases do parto e as principais informações como cuidar do recém-nascido. Além disso, proporcionam um momento de patilha entre outras mulheres que estão na mesma situação.

 Em resumo, os curso são vantajosos para diminuir a ansiedade dos futuros pais. Esclarecer dúvidas, dar a conhecer exercícios e técnicas de relaxamento durante o trabalho de  parto e guiar sobre os cuidados com o recém-nascido. 

O centro destes cursos, tornaram-se mais abrangentes, voltando-se agora para a paternidade em pleno, com programas mais abrangentes. Para além das técnicas de respiração e controlo da dor, muitos estabelecimentos abordam ainda a amamentação, métodos contraceptivos, depressão pós parto, as precauções nas rotinas do bebé ou mesmo a sexualidade na gravidez, cocmo também os direitos dos pais, por exemplo.

A atestar a sua importância, por lei, estes cursos são comparados a consultas pré-natais: a falta dos futuros pais ao trabalho para frequentá-los é justificada.

Estes cursos são preparados, habitualmente, por entidades privadas. Contudo, também são organizados em alguns centros de saúde e hospitais públicos, sendo nestes casos gratuitos, o que por vezes condiciona é o horário, pois coincide com o horário do trabalho do casal. Caso tenha oportunidade, só tem a ganhar se puder frequentar um curso de preparação para a parentalidade, idealmente, a partir das 28-30 semanas de gestação.

Pesquisem na net, o que o mercado vos oferece e aquele que mais se adapta a vocês.

Deixo aqui alguns locais:

www.instituto4life.com

www.vounascer.com

www.olamama.com

www.gimnogravida.pt

Estes são alguns exemplo, na região de Lisboa o último é no Porto, vejam nas vossas localidades o que vos oferecem.

E vão é uma experiência positiva...

maos pes.jpg

 

 

De seringa na mão


Mamã Tranquila

15.03.18

Como enfermeira, estamos logo associdas ás famosas picadelas...

Durante a gravidez, a grávida deve fazer uma vacina, para proteger o seu filho in utero da tosse convulsa.Na ausência de novas vacinas mais eficazes há que implementar estratégias adicionais de controlo da tosse convulsa com o objetivo prioritário de reduzir a carga da doença em lactentes de idade inferior a 2 meses.

 De entre estas, a que tem demonstrado maior efetividade é a vacinação da grávida, que se baseia na passagem transplacentária de anticorpos da mãe para o filho, conferindo-lhe proteção passiva até ao início da vacinação, aos 2 meses de vida.

Recomenda-se a vacinação durante a gravidez com uma dose de vacina combinada contra a tosse convulsa, o tétano, e a difteria, em doses reduzidas (Tdpa), entre as 20 e as 36 semanas de gestação, idealmente até às 32 semanas;

 A vacinação deve ocorrer após a ecografia morfológica (recomendada entre as 20 e as 22 semanas + 6 dias).

Há duas vacinas com autorização de introdução no mercado (AIM) em Portugal as vacinas Boostrix® e Triaxis® mas apenas a Boostrix® está comercializada.

boostrix_2011.jpg

É gratuita e normalmente é administrada nos centros de saúde.

Local de administrção é o braço

Nós estamos lá prontinhas para picar.

 

 

 

fator-rh-.jpg

Durante a gravidez, o tecido que separa os vasos placentares (onde circula sangue do feto) do espaço interviloso (onde circula sangue materno) vai diminuindo de espessura, permitindo que as trocas de sangue entre mãe e feto vão aumentando até ao termo da gestação. A partir da 6ª semana de gravidez, quando o feto Rh + começa a ter antigénio Rh em circulação, é induzida a produção de anticorpos anti-D, nas grávidas Rh-, ficando estas sensibilizadas. Numa futura gestação, a consequência desta sensibilização será a doença hemolítica perinatal (DHPN), situação responsável por uma morbilidade e mortalidade perinatal significativa.

 

Para evitar esta situação, faz uma injeçao ás 28 semanas de gestação ao qual chamamos de imunoglobulina anti-D

 

Esta é administrada no rabiosque, o que deixa sempre a futura mamã ansiosa, porque normalmente não estão à espera...

IM.jpg

Eu normalmente aviso na consulta anterior, para não ter uma grávida a fugir com o cú á seringa!!!!!

 

 

 

 

 

Boletim de Saúde da Grávida


Mamã Tranquila

14.03.18

BG.jpg

Ontem, falei vos dos exames que acompanham uma gravidez de baixo risco. Hoje venho vos dar a conhecer onde se regist esses mesmos exames.

O Boletim de Saúde da Grávida (BSG) é  fundamental para a transmissão dos dados relativos à saúde da grávida e do feto. Assegura a circulação da informação clínica relevante, contribuindo para a articulação e interligação entre os cuidados de saúde primários, obstetra e os cuidados hospitalares. Todas as grávidas têm direito a posse de um BSG correctamente preenchido.

O BSG deve ser distribuído a todas as grávidas na primeira consulta, independentemente do nível assistencial onde a mesma se realize e deve ser actualizado em cada consulta subsequente.

Algumas recomendações complementares sobre o preenchimento do novo Modelo:

HISTÓRIA FAMILIAR E ANTECEDENTES PESSOAIS

ANTECEDENTES OBSTÉTRICOS

Refere se, por exemplo a uma outra gravidez,partos, aborto ou IVG

GESTAÇÃO ACTUAL

O exame ginecológico (citologia) deve ser  efectuado na 1ª consulta e devidamente registado, se a grávida não o tiver actualizado. Avaliação do grau de risco determinada na 1ª consulta, em função da anamnese e observação clínica.

EXAMES LABORATORIAIS

Registar os valores e as datas das análises referidas. .

REGISTO DE DADOS CLÍNICOS E ANALÍTICOS

Registo dos exames ecográficos Registar os dados no rectângulo correspondente ao trimestre em que foi realizado. 

DESCRIÇÃO DO PARTO

Este campo deve, obrigatoriamente, ser preenchido no local do parto.

CONSULTA DO PUERPÉRIO

Deve ser dada instrução à puérpera, aquando da alta hospitalar, para apresentar o BSG na consulta do puerpério.

 

Este livrinho é dado nos centros de saúde, no entanto, as instituções privadas podem ter um próprio sendo igualmente importante, pois tem a mesma função. Se por acaso, estiverem a ser seguidas em obstetras particulares em consultórioe os mesmos não tiverem para vos entregar, podem vir buscar ao centro de saúde da vossa área de referência.

 

MUITO IMPORTANTE

Quando chegar a hora de ir para o hospital, levar SEMPRE o BSG, acompanhado de todos os exames relativos à gravidez

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D