pre parto, gravidez, pos parto

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mamã tranquila

Vamos falar de preparação para o parto, parto, recém-nascido e todo o tipo de assuntos relacionados com este tema...

mamã tranquila

Vamos falar de preparação para o parto, parto, recém-nascido e todo o tipo de assuntos relacionados com este tema...

Aromaterapia, Musicoterapia e Cromoterapia durante o trabalho de parto


Mamã Tranquila

25.04.18

Aromaterapia

lavanda.JPG

  

As massagens com óleos essenciais durante o parto são conhecidas há muitos séculos e há uma série destes óleos que poderão ser vantajosos durante o trabalho de parto, uma vez que intensificam as contrações ao mesmo tempo em que têm um efeito analgésico e relaxante.

Antes de começarmos, algumas dicas práticas para você não errar na hora de escolher seus óleos essenciais:


1) Nunca aplique óleos essenciais puros sobre a pele. Eles sempre devem ser previamente diluídos em uma boa base, como um óleo de amêndoas de qualidade (puro e sem perfume).


2) Lembrem-se de procurar óleos essenciais 100% puros extraídos das plantas (cuidado com essências sintéticas, que são meros perfumes e não possuem nenhum efeito terapêutico.

Os dois óleos que parecem mais eficazes durante o parto são os de Jasmim e Lavanda. Eles são bem testados e conhecidos como verdadeiramente úteis. Oferecem vantagens ligeiramente diferentes, embora algumas de suas propriedades coincidam. Apesar de serem ambos analgésicos, o de Jasmim é um pouco mais eficaz para intensificar as contrações, encurtando, assim, o trabalho de parto. Algumas pessoas consideram seu odor intenso um pouco enjoativo durante o parto.


O aroma puro e fresco do óleo de Lavanda talvez seja mais aceitável, e pode ser usado de várias outras maneiras além da massagem. Durante o trabalho de parto, o óleo de Lavanda abrandará a dor e seu efeito calmante terá uma ação valiosa para o relaxamento emocional da parturiente. A Lavanda vem trazer equilíbrio e conforto para o ambiente de parto, diminuindo a ansiedade e apaziguando as emoções.


Compressas também podem ser úteis para o alívio das dores e aceleração do trabalho, já que ajudam os óleos essenciais a penetrarem mais rapidamente.


Outras sugestões:

Hortelã Pimenta – uma gota ou duas desse maravilhoso óleo, em um tecido para inalar entre as contrações mantém a gestante em trabalho de parto refrescada.

Jasmin  – O óleo sábio – se você deseja incentivar e promover as contrações, este óleo pode ser usado ​​no difusor, por um período curto.

Rosa e Olíbano – usados também durante as contrações, estes óleos promover  relaxamento nos intervalos entre as contrações.

 


MUSICOTERAPIA

musicoterapia.JPG

 

 

Esta técnica, ajuda as grávidas a criar vínculos com o feto a partir da 25ª semana de gestação, quando o bebê consegue identificar vozes e sentir a vibração dos sons. Isto porque, para alguns especialistas, a música potencializa o desenvolvimento físico e emocional e intelectual da criança, favorecendo as ligações afetivas.

Durante a gestação, a mãe é aconselhada a escolher uma música que tenha como objetivo relaxar o bebê. A ideia é que ele associe a canção a boas sensações, como tranquilidade e segurança, vivenciadas no útero.

 

No parto, essa mesma música é tocada para que, ao nascer, a criança possa minimizar o que muitos psicólogos definem como um dos maiores traumas da vida. Ouvindo a música que o remete às boas vivências uterinas, o bebê se sentirá protegido e acolhido na transição do útero para a vida externa a ele.

 

Nos primeiros meses de vida, quando o bebê estiver com cólicas ou muito agitado, a mãe pode usar a mesma música para acalmá-lo.

As experiências, indicam  que bebês submetidos à Musicoterapia acabam por se adaptar melhor à amamentação, dormindo mais e chorando menos.

As mães estimuladas pela música durante a gravidez estarão mais descontraídas e seguras durante o trabalho do parto, com níveis de ansiedade menores, além de ganharem maior autocontrole sobre a dor e mais consciência sobre as sensações físicas.

 

No entanto, é necessário ponderar a escolha da música, particularmente para que essa terapia alcance o efeito esperado no bebê. A vibração dos sons tem relação direta com o lado emocional da criança. As pesquisas destetaram que as canções clássicas, especialmente as de Mozart, são as que melhor integram os dois hemisférios cerebrais (esquerdo e direito).

 

CROMOTERAPIA

cromoterapia.jpg

 

 

É uma técnica  por meio das cores. Sabe-se, que mesmo as cores das roupas influenciam o organismo. Isto realça a importância da seleção da cor das roupas a serem usadas, das cores das paredes da casa.

Já observaram como as cores verde e azul são muito presentes em hospitais?

O azul é relaxante, baixa a pressão arterial, tem função analgésica e o verde de natureza tônica, exerce influência no bom desempenho do coração e circulação do sangue. Reduz as tensões dos vasos sanguíneos e regula a pressão arterial.
É um calmante do sistema nervoso, principalmente do simpático. Por agir como sedativo desse sistema, ajuda nos casos de irritação, insônia e esgotamento.


Significados e benefícios da Cromoterapia no parto:

-Vermelho: É uma cor poderosa e deve haver precauções no seu uso, pois em excesso pode provocar nervosismo e ansiedade. Pode despertar a sexualidade e erotismo.. Não utilizar durante a gestação. Indicado no trabalho de parto para estimular as contrações.

-Laranja: É uma cor alegre e antidepressiva.. Influencia o processo de tomar decisões. Também indicada para o trabalho de parto.

-Verde: É uma cor associada à natureza, tranquilidade, revigorante, equilíbrio e saúde. Cor da cura e equilíbrio. Utilizada em qualquer área de dor no corpo. Muito indicada no trabalho de parto para acalmar sem desacelerar o processo, pois apesar de tranquilizar a mente, o verde é uma cor revigorante, que contribui para a mulher ter a força necessária para parir.

-Azul: É uma cor relaxante, que traz paz, serenidade e promove a meditação. No trabalho de parto essa cor acalma e auxilia na vocalização durante as contrações, porém, por ser uma cor calmante, pode desacelerar o trabalho de parto. Usar com cautela.

-Índigo: É uma cor que simboliza a intuição e a compreensão. No trabalho de parto essa cor auxilia na aceitação e entendimento do processo, contribuindo para um estado meditativo, facilitando o trabalho do corpo sem a influência da mente tentando controlar.

OMG, nem sei o que dizer


Mamã Tranquila

23.04.18

sunshine-blogger-award.jpg

Fui nomeada pela Joana

Do Blog O Quiosque da Joana

OMG.... obrigada pela nomeação.... espero corresponder e não desiludir...

Bem comecei ontem, quando reparei que respondi às perguntas erradas, eu e a minha dislexia... 

Aqui vai:

 

1. Porque decidiste criar um blog?

Já o planeava à cerca de uns 5 anos, mas empurrei sempre com a minha barriguinha, pois havia sempre algo que tinha de fazer.

Até ao dia que decidi que não passava daquele dia e assim nasceu mama tranquila. E estou tão orgulhosa

Gosto de partilhar algo que vivo intensamente e adoro falar sobre tudo o que tenha a ver com gravidez e parto e seus afins.

Depois, senti a necessidade de ser mais eu e surgiu outro blog a enfermeira alucinada, para poder contar e desbafar.

Vamos ver onde tudo isto me leva.

2. Por aqui pelo Sapo, ou fora dele, que blog ou blogs gostas?

Gosto de vários, tenho pena de por vezes não os conseguir ler a todos. Não poderia deixar de ser o quiosque da Joana, faz-me sempre bem, a Chicana, as aventuras diarias, Gaffe bom humor, Justsmile, simplesidade.

 3. Se tivesses que escolher um personagem animado, qual serias? 

 

 A Bela, é tão querida, adoro o filme.

4. Qual a musica que melhor te define?

Toda a música, mais a comercial, sou daquelas que quando gosta de uma, ouve  aos altos berros no carro e dança.... por vezes até pára o transito.

5. Que livro estás a ler neste momento?

Parto ativo de Janet Balaskas, uma abordagem natural do parto, de alguém com muita experiência. è um mundo que me fascina o "milagre da Vida"

6. Que viagem de sonho farias?

Qualquer uma, pois adoraria viajar se não fosse a minha fobia pelo avião.....

7. O que é que pode estragar um dia perfeito?

Se é perfeito não se pode estragar

8. O que gostas de fazer nos teus tempos livres?

Adoro estar em familia ou com amigos, tudo passa tão rápido e por vezes nem desfrutamos do que está ao nosso lado.

9. Imagina que tinhas de mudar de profissão, o que escolherias?

Para ser sincera não gostava de fazer nenhum.... mas talvez algo na decoração de interiores, se tenho jeito? Nada, zero, zerinho, mas adoro o tema

10. Sais de casa, o que é que não pode faltar dentro da tua mala?

O raio do telemovel, sou dependente dessa coisa, mas apenas para ficar contactavel para quem precisa de mim...

11. Para ti, o que é o melhor do mundo?

Saber que aqueles que amo estão bem. Por vezes acho que vivo num mundo cor de rosa em tudo é perfeito e que nada de mau acontece, depois acordo para a realidade. Sou tipo aquelas miss universo (sem ser nada gira nem esbelta) que dizem - PAZ NO MUNDO...

As minhas perguntas:

 

1. O que é para ti um dia inesquecivel?

2. SE o mundo acaba-se amanha? O que farias agora?

3. Qual o teu animal preferido? 

4. Se tivessem direito a 3 desejos, o que escolherias?

5. Quando é que te apetece mandar tudo para o ar?

6. Porque escolheste criar um blog?

7. Dia ou noite, quais as diferenças?

8. Férias cá dentro oulá fora?

9. Para ti o que é o melhor da vida?

10. Qual foi a última coisa que aprendeste?

11. O que dizem os teus olhos?(sempre quiz fazer esta pergunta, )

 

Regras deste desafio:

* Agradecer à Blogger que te nomeou.
Feito
 
* Responder às 11 perguntas que te foram dadas. 
Feito
 
* Nomear 11 bloggers e fazer-lhes 11 perguntas. 
Vai demorar mas chego lá
 
* Colocar as regras e incluir o logótipo do prémio no post. 
Done
  1.   engraçadinha
  2. desabafos da mula
  3. 3 face
  4. chic'ana
  5. Marta Elle
  6. Anabela
  7. happy
  8. alupadealguem
  9. gorduchita
  10. Gaffe
  11. blogdocaixote

Desculpem se já responderam a outros...

 

 

Posições no trabalho de parto


Mamã Tranquila

22.04.18

Cartaz-Jaic.jpg

 

 Nos últimos 30 anos, começar as discussões acerca das desvantagens da posição dorsal no trabalho de parto, destacando-se as vantagens da mobilidade da mãe e da postura ereta nesse processo. Estudos têm revelado que, fisiologicamente, é muito melhor para a mãe e para o feto quando a mulher se mantém em movimento durante o trabalho de parto, pois o útero contrai-se muito mais eficazmente, o fluxo sanguíneo que chega ao bebê através da placenta é mais abundante, o trabalho de parto torna-se mais curto e a dor é menos intensa. Acresce-se o facto de que, na posição vertical, a adaptação da apresentação fetal ao estreito da bacia estará ajudada pela postura materna, e, assim, pode-se prevenir complicações do trajeto. A posição vertical adotada pela parturiente tem ganho destaque na assistência ao parto humanizado por produzir melhor efeito na progressão do trabalho de parto.

 

Nome da Posição: Decúbito lateral

Descrição da posição: Deitada de lado experimenta colocar almofadas nos joelhos.

Funções: Para descansar, repousar e relaxar.

Recomendações: De preferência coloca-te para o lado esquerdo. Alterna as posições conforme te sintas mais confortável.

com almofadas.jpg

 

Nome da Posição: Balanceio apoiado

Descrição da posição: Apoiada a quem estiver a acampanhar o trabalho de parto, coloca os braços à volta do  pescoço, encosta a cabeça no  peito. Balança a anca, de modo a embalar. Procura o movimento rítmico que te alivia.

Funções: Diminui as dores e o desconforto. Melhora o ritmo cardíaco do  bebé.

Recomendações: Boa posição para outra pessoa te fazer massagens nas costas. Podes ainda tomar um duche quente: ajuda a relaxar, reduz a ansiedade e aumenta a sensação do controle da dor.

a dois.jpg

Nome da Posição: Apoio unipedal e Inclinação anterior

Descrição da posição: Coloca o pé em cima da cadeira e durante a contração inclina-te suavemente para frente.

Funções: Alivia as dores das contrações. A atividade ajuda o bebé a descer e ajuda a rodar a posição para nascer.

Recomendações: Na fase inicial do trabalho de parto, seja ativa mas não se cansem andando o tempo todo. Procura posições alternativas para descansar em que te sintas mais confortável. Andar, caminhar é mais eficaz na fase ativa do trabalho de parto e na transição da descida da cabeça do feto.

cadeira1.jpg

Nome da Posição: Balanceio apoiado com bola de Pilates

Descrição da posição: Com as pernas fletidas senta-te sobre os pés, apoiando o tronco e braços sobre a bola.

Funções: Relaxa e alivia as dores nas costas, para as contrações irregulares e para o trabalho de parto demorado. O companheiro pode fazer massagens nas costas.

Recomendações: Por vezes, se esta posição é muito prolongada, pode começar a sentir formigueiro nos pés e pernas. Então será mais confortável mudar para outra posição, andar um pouco ou então sentar.

com bola.jpg

Como-evitar-dores-nas-costas-durante-a-gravidez3.jpg

 

Também podem fazer com uma cadeira, balançando de um lado para o outro.

balanço.jpg

 

Nome da Posição: Gatas

Descrição da posição: Coloca-tede joelhos com as mãos apoiadas sobre um colchão ou almofadas.

Funções: Alivia as dores nas costas devido ao peso exercido do bebé. Ajuda o bebé a rodar-se e a posicionar-se melhor para o parto. Melhora a oxigenação do seu bebé. Diminui os traumas do períneo.

Recomendações: Boa posição para outra pessoa fazer massagens nas costas.

gatas.jpg

Nome da posição: Semi-sentada

Descrição da posição: Deita-te na cama do hospital se possível com as costas, braços e pernas apoiadas em almofadas (duvido um pouco porque no bloco de partos não têm muitas almofadas, mas não custa pedir).

Funções: Melhora a abertura do canal de parto.

Recomendações: Durante as contrações, podes colocar as mãos por baixo dos joelhos e puxar os joelhos para cima. O importante é estar confortável e muda de posição sempre que puderes.

sentada.jpg

realxa.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome da posição: Agachamento

Descrição da posição: Coloca-te de cócoras e apoiada a uma cadeira.

Funções: Facilita abertura do canal de parto. Permite esforços expulsivos sobre a lei da gravidade. Pode aumentar os traumas do períneo.

Recomendações: Estas posições podem não são possíveis se tiverem analgesia epidural.

cadeira2.jpg

 

Esta informação pode ajudar-vos a tomar decisões sobre a condução do trabalho de parto e parto que vocês idealizam, com a finalidade de executar o vosso plano de parto e visando uma melhor condução do trabalho de parto e parto.

 

O uso da água durante o trabalho de parto


Mamã Tranquila

21.04.18

banho parto.jpg

 

No decorrer do trabalho de parto a grávida vivencia uma sensação que nunca tinha vivenciado antes, estímulos multidimensional tais como: contrações uterinas, hipoxia da musculatura uterina, estiramento cervical, vaginal e perineal…

A sensação de dor, no entanto, é uma resposta fisiológica complexa e subjetiva que pode ser experimentada de maneiras muito diferentes por cada mulher

Quando desejamos um parto normal, é importante saber que existem vários “métodos não farmacológicos”, que são técnicas naturais usadas para proporcionar à grávida conforto e ajudar o processo do trabalho de parto.

 Muitos estudos apontam que estas técnicas não farmacológicas durante o trabalho de parto podem colaborar para a liberação de endorfinas e aliviar em muito as sensações dolorosas.

Vou vos falar de várias técnicas, mas hoje em especial, quero destacar o uso da água, porque, além de ter sido a minha tese de mestrado, acho que é aquela que nos traz maiores benefícios e pode ser aplicada juntamente com outras técnicas.

 A hidroterapia enquadra-se dentro das estratégias não farmacológicas para alívio da dor, pois o efeito que a água provoca sobre a pele é de relaxante muscular. Pode ser aplicada em banheiras( em casa por exemplo) e chuveiros(hoje em dia a maioria dos hospitais tem WC privativos) com agua morna ou mesmo através de compressas quentes.

Há inumeráveis benefícios imediatos na utilização da hidroterapia, como alívio do desconforto, relaxamento corporal, redução da ansiedade, produção de endorfina (melhoria da dor) e ocitocina (estimulação de contrações no trabalho de parto), diminuição da pressão arterial, aceleração da dilatação cervical…

É de referir que o uso da água não terá apenas o efeito redutor da perceção dolorosa, mas também ajudará claramente para a evolução do processo, além de diminuir a necessidade do uso de analgésicos e da necessidade de intervenções cirúrgicas.

A fase ativa do trabalho de parto é o momento mais indicado para o uso da água. A hidroterapia mostra-se uma prática segura, por não haver contraindicações. Estando a grávida e o feto com seus sinais vitais estáveis, não há limite de tempo e nenhuma contraindicação para o uso desta técnica

Logo podemos, recapitular:

  • Facilita a mobilidade e permite à mulher assumir a posição que for mais confortável durante o trabalho de parto
  • Acelera o trabalho de parto;
  • Reduz a pressão arterial;
  • Dá à futura mãe o sentido de controlo sobre o parto;
  • Alivia bastante a dor;
  • Promove o relaxamento;
  • Reduz a necessidade de recurso a fármacos e intervenções;
  • Cria para a futura mãe um espaço de privacidade e proteção;
  • Reduz os riscos de lesão do períneo e elimina as episiotomias;
  • Reduz a taxa de cesarianas;

sentada-na-cadeira-chuveiro-nas-costas (2).png

 

Bola de Pilates


Mamã Tranquila

18.04.18

A bola de Pilates pode ajudar bastante a acalmar as dores na coluna durante a gravidez e também na altura da dilatação.

Existe uma bola de Pilates adequada para cada estatura.

bolas.jpg

 

Quanto mais cheia a bola mais difícil é se permanecer em cima dela, por isso é melhor que não esteja totalmente cheia.

Na Gravidez

Sentem-se na bola com o apoio de alguém ou de uma cadeira/sofá. Afastem os pés cerca de 50 a 60 cm um do outro e lembrem-se de manter a coluna bem direitinha.

Só de sentarem assim a região do assoalho pélvico já estará sendo favorecida e os músculos fortificados o que é ótimo durante a gravidez e ajudará no trabalho de parto. A posição também alivia a dor nas costas e deixa o bebê numa posição mais confortável.

Quando estiverem bem apoiodas podem começar a fazer exercícios leves!

  • Balancem a anca devagar de um lado pro outro ou façam movimentos circulares. Fazendo 10 repetições para um lado e depois 10 para o outro.
  • Façam um simbolo do infinito com a anca (um 8), movendo devagar. (Cuidado para não se desequilibrarem)
  • Sentem-se com cuidado na bola, coloquem ambas as mãos por baixo da barriga para oferecer suporte e com movimentos delicados para cima e para baixo. Descanse após 10 repetições ou menos.

Exercícios-para-acelerar-o-trabalho-de-parto-1.jpg

 

No Trabalho de Parto

Se puderem levem a vossa bola para a sala de parto. Hoje em dia quase todos os hospitais têm para emprestar.

 Sentar, rebolar ou os movimentos em forma de oito durante as contrações pode ajudar a aliviar as dores.

  • Ajoelhe-se no chão (pode apoiar os joelhos em uma almofada), abrace a bola contra o peito e jogue o corpo para frente apoiando os ombros e peito na bola, isso vai relaxar a lombar e até a barriga.

 

 

posições7.jpg

 

No Pós parto

Após o parto podem fazer os mesmos exercícios que faziam na gravidez, ajudam desta forma a região pélvica a voltar ao normal.

 

 

Respiração no Trabalho de Parto


Mamã Tranquila

16.04.18

respiraçao.jpg

 

A tendência natural é para a mãe começar a respirar de forma demasiado rápida e superficial. Embora essa seja a reação natural do corpo, a mãe necessita de compreender técnicas para controlar a respiração, por isso a importância dos cursos de preparação. Ao aprender formas de controlar a sua respiração no TP, a grávida vai obter mais energia e dar ao seu bebé mais oxigénio.

Se não consegue respirar da forma apropriada, facilmente se descontrola e é conduzida ao cansaço. Importante relembrar que o bebé também está em stress, por isso é necessário que mantenham uma respiração ritmada.

Devem também ter em conta que a inspiração não pode ser muito mais rápida do que expiração. Quando inspirar, devem fazê-lo lentamente.

CONCENTRAR NA RESPIRAÇÃO

Concentrem-se na vossa respiração. Inspirando de forma natural, tendo em atenção que ao expirar deve fazê-lo com força e de forma mais prolongada, tentado libertar a tensão de todo o seu corpo.

 INSPIRAR PELO NARIZ E SOPRAR PELA BOCA

Inspirem sempre pelo nariz e soltem o ar pela boca. Como se estivessem a cheirar uma flor e depois a soprar uma vela, mas mais lentamente. Enchendo bem o peito de ar e depois deitar fora

Na respiração no trabalho de parto é ainda mais importante manter esta ordem. Não tenham vergonha de fazer mais barulho ao expirar, se isso vos ajudar.

Podemos usar este tipo repiratório até nos sentirmos confortaveis. 

SOPRAR

Quando estamos numa fase mais adiantada da dilatação, podemos precisar de usar um tipo respiratorio mais rápido.

Soprando fazendo bochechas... e aumentar a frequencia, conforme aumenta a contração.

É um tipo respiratório que seca mais a boca.

 

ACOMPANHANTE

Ajuda maravilhosa durante o TP. Se o acompanhante fizer a respiração da mesma maneira que a grávida, será de certo fácil para a futura mãe seguir, tornando-se também um momento de partilha.

Concentração é a palavra de ordem, seja na própria respiração ou na de quem a acompanha.

 

 

É importante salientar que a respiração no trabalho de parto não deve ser apenas na altura do verdadeiro TP. Deve ser trabalhada durante toda a gravidez, de modo a se tornar uma rotina e estar bem presente na altura necessária, para que no momento do trabalho de parto possa fazê-lo naturalmente, sem ter de preocupar a pensar como respirar da forma mais adequada.

 PS - Acham necessário eu fazer um filme a explicar??? ou este serve????

Epidural


Mamã Tranquila

13.04.18

É uma técina farmacológica para alívio da dor no trabalho de parto.

 

A dor do trabalho de parto pode ser relatada de muitas formas. Umas mulheres referem-na de forma mais intensa que outras mas, na verdade, a dor é, na sua definição, algo individual, tendo muito a ver com a forma como se lida com ela.

A decisão de realizar uma técnica para aliviar a dor no trabalho de parto deve ser uma decisão unicamente da grávida. É ela que vai passar por todo o processo e, por isso, deve ser ela a decidir, de forma consciente e informada, o que deseja fazer.

Toda informação acerca da analgesia no parto deve, idealmente, ser feito durante a gravidez. Assim, a mulher consegue informar-se corretamente e com tempo e pode eleger entre as várias opções disponíveis, podendo esclarecer todas as dúvidas que surgirem no caminho.

 

E como funciona?

 

A sensação de dor, quente/frio ou pressão são sentidos porque os vários estímulos que recebemos do exterior são enviados para o nosso cérebro através dos nervos. Os nervos, antes de chegarem ao cérebro, passam pela medula espinhal, assim, um estímulo que normalmente entenderíamos como doloroso, não é sentido como tal porque não chega ao seu destino final – o cérebro. É assim que a epidural funciona.

 

Qual é a diferença entre a vária técnica anestésica/analgésica?

 

O local onde o medicamento é administrado dá o nome à técnica do neuro-eixo, na técnica epidural coloca-se no espaço epidural. A técnica epidural como analgesia apenas retira a dor, como anestesia retira a sensibilidade.

O que quer dizer, que no trabalho de parto, a grávida tem apenas o alívio da dor e mantem a sensibilidade das pernas.

 

Qual a vantagem?

 

A vantagem de realizar uma epidural é exatamente o alívio da dor durante o trabalho de parto.

 

Como se faz?

 

Na epidural poderá estar sentada ou deitada, dependendo da preferência do anestesista que realizar a técnica. Terá de seguir as indicações que lhe forem dadas para colocar as costas da forma mais adequada possível de modo a facilitar o trabalho do médico. É um procedimento rápido, demora cerca de 5-10 minutos. Depois de o cateter estar no local correto, é fixado com um adesivo e fica com uma torneira onde pode ser administrado medicamento sempre que necessário.

A comunicação entre anestesista e a grávida é muito importante de forma a que tudo acontença sem intercorrências.

 

Qual a posição?

posiçao (1).jpg

posiçao1.jpg

 

epidural1.jpg

 

 

Como é o cateter?

 

É um tubo de plástico fino.

cateter1.jpg

 

 

 

 

Quando deve ser efectuada a epidural?

 

Quando a grávida tiver dor e quiser fazer a epidural! Não existe diferença entre realizar uma epidural numa fase muito precoce ou muito tardia. Os efeitos desejados e indesejados são exatamente os mesmos, quer seja feita com 1 como com 9 cm de dilatação.

 

Quais são as desvantagens?

 

Para a mãe:

 

A analgesia loco-regional é uma técnica médica invasiva, e como qualquer outra técnica não exclui riscos. A analgesia loco-regional não aumenta a probabilidade do parto ser por cesariana. No entanto, a probabilidade de um parto por via vaginal instrumentado,  ou seja, com recurso a ventosa ou fórceps, pode tornar-se mais propício.

Ao realizar esta técnica, irá ser inevitável a cateterização venosa e uma monitorização mais rígida de modo a prevenir complicações e isto poderá condicionar alguma limitação da mobilidade, assim como a impedirá de comer e beber, por questões de segurança.

 

Para o bebé:

 

Esta técnica praticamente não terá repercussões no seu bebé, não aumentando a incidência de nenhum tipo de complicação do recém-nascido. Não irá influenciar  a sua respiração, força ou bem-estar após o parto.

 

 

Acima de tudo, a escolha deve ser da grávida, informada e consciente de todas as vantagens e desvantagens. Por essa razão se entrega um consentimento informado para ler e depois assinar de forma a autorizar a técnica.

Contrações


Mamã Tranquila

11.04.18

v4-728px-Time-Contractions-Step-8-Version-3.jpg

Uma dúvida normal nas mães de primeira viagem é: como são as dores de uma contração e medidas que ajudam a identificar esse momento. Essa preocupação vem à tona principalmente depois de completar 40 semanas de gravidez.

A contração é uma sensação de aperto e relaxamento do útero, pode ser acompanhada de dor ou apenas um leve incômodo. A movimentação ocorre com o objetivo de dilatar as paredes uterinas e ajudar a “empurrar” o bebê para o canal do parto.

 

 

As contrações acontecem em intervalos irregulares ao início, tornando-se regulares e cada vez com intervalo de tempo mais curtos, ficando mais intensas conforme o tempo passa. Muitas vezes, com a aproximação do trabalho de parto, as contrações podem ocorrer a cada 10 ou 20 minutos.

A dor pode ser sentida na região lombar das costas, muitas vezes acompanhada de uma cólica parecida com a pré-menstrual.

Contrações do trabalho de parto 

  • Mais compridas: a barriga fica dura por mais tempo
  • Mais regulares
  • Mais doloridas
  • Não param de vir. Cada uma que vem é mais forte que a outra, e o intervalo entre elas vai ficando cada vez menor
  • Não melhoram se mudar de atividade
  • Atingem a barriga inteira e às vezes as costas
  • Não dependem da posição ou da movimentação do bebê

contraçao.png

 


O ritmo é o mais importante, sempre que perceber que está tendo várias contrações, marque o horário, para acompanhar o intervalo entre elas .

 

511

Contrações de 5 em 5 minutos com duração de 1 minuto durante 1 hora

 

Podemos ir para o hospital…

Dilatação


Mamã Tranquila

10.04.18

Fases do trabalho de parto

Considera-se que o trabalho de parto (TP) se divide em três períodos:

 

  • O primeiro período (dilatação) estende-se desde o início da contratilidade regular até à dilatação completa do colo do útero (cérvix).

 

  • O segundo período corresponde à descida e expulsão do feto (período expulsivo).

 

  • O terceiro período (dequitadura) estende-se do nascimento do feto até à expulsão da placenta e membranas.

 

 

duraçao TP.jpg

 

O primeiro período divide-se habitualmente em duas fases:

 

Fase latente, desde o início do trabalho de parto até cerca dos 3-4 cm de dilatação do colo, e Fase ativa, desde esse momento até à dilatação completa.

 

O trabalho de parto espontâneo é antecedido por uma etapa que pode ser designada por período pré-parto, que decorre nos dias (ou semanas) que antecedem o início da contratilidade regular e dolorosa.

Nesses dias pode surgir contratilidade uterina irregular, normalmente desconfortável mas não dolorosa, sensação intervalada de pressão pélvica, casualmente com aumento do corrimento vaginal de tipo mucoso por vezes acastanhado (que corresponde à expulsão do chamado “rolhão mucoso”).

 Ao toque, o colo do útero encontra-se amolecido e encurtado, vai-se alinhando para a entrada da vagina e, por vezes, permite a introdução de um dedo do médico ou enfermeiro.

 

Importante referir, que em termos de TP, ele só começa verdadeiramente quando temos o colo do útero apagado e se inicia a dilatação. Por isso é que muitas vezes já temos contrações dolorosas e vamos para o hospital e dizem para voltarmos para casa, ou ir andar mais um bocado…

A evolução do TP varia de acordo com a paridade da grávida, ou seja, nas nulíparas (grávidas que nunca tiveram filhos) o apagamento (encurtamento) do colo do útero dá-se antes do início da dilatação.

Ao contrário, das multíparas (grávidas que já tiveram pelo menos um filho) o apagamento e a dilatação do colo são simultâneos, pelo que é vulgar estas mulheres já terem o colo permeável a 2-3 dedos mas ainda sem apagamento completo do canal cervical.

Em qualquer dos casos, o período expulsivo só se inicia quando o colo está completamente apagado e a dilatação está completa, isto é, o colo já não se interpõe entre a vagina e a apresentação fetal.

Em resumo, podemos dizer que num primeiro parto pode ter uma duração de 10 a 18h, pensando que cada cm de dilatação corresponde a uma hora. Num segundo parto todo este processo pode ser mais rápido passado a 6 a 10h. No entanto, varia sempre de mulher para mulher e do seu controlo durante o TP…

 

 

À espera do dia D....


Mamã Tranquila

09.04.18

gravida1.jpg

 

O final da gravidez, por vezes parece que nunca mais acaba, ficamos mais ansiosas a ver os dias a passar para o grande dia…

Quando passamos das 39 ou 40 semanas e queremos um parto natural (desde que não existam contraindicações médicas) existem algumas estratégias que podem ajudar a desencadear ou a acelerar o trabalho de parto.

 O útero é um músculo que se contrai por ação de estímulos, sejam eles hormonais, tais como as prostaglandinas, ou mecânicos, como os esforços físicos. São as contrações uterinas, que podem ou não ser dolorosas, que vão empurrar o bebé contra o colo do útero, fazendo com que ele comece a dilatar.

Então vou vos dar alguns truques que podem resultar:

  • Manter vida sexualmente ativa – o esforço relacionado ao ato sexual combinado com a ação do sémen, no colo do útero, que tem na sua composição prostaglandinas, funcionam como uma forte estimulação que pode levar à contração do útero. Também o facto da mulher se sentir desejada e alcançar o orgasmo aumenta a segregação de ocitocina, hormona que vai também estimular o útero a contrair-se;
  • Manter atividade física ligeira a moderada – realizar caminhadas e se estiver junto à praia aproveitar o areal ou simplesmente fazer a trabalho da casa exerce os músculos da parede abdominal e o útero também;
  • Favoreça a liberdade de movimentos (sempre que possível) – As posições mais verticais permitem uma boa amplitude da bacia são naturalmente as mais confortáveis, e para além disso ainda potenciam a força da contração por associação à força da gravidade e ao peso do bebé sobre o colo do útero; dançar também pode ser bastante eficaz, pois além de todos os movimentos que se fazem, relaxa e descontrair a mente;
  • Alimentos - Alguns alimentos também cooperam para o parto. A pimenta vermelha, o óleo de prímula, rícino e chás de canela e framboesa. O óleo de rícino funciona como laxante vai ajudar a movimentar a musculatura inferior, contudo só deve ser usado com orientação do médico. O óleo de prímula ajuda na dilatação, ele participa para afinar o colo do útero e a dose deve ser indicada por um médico. Comidas apimentadas é uma mesinha antiga, sem qualquer apoio cientifico, no entanto, pode produzir contrações. O chá de canela/gengibre segue a mesma linha da pimenta, como é quente ajuda a aumentar a contação uterina

 

  • Estimulação do mamilo - Não há nenhuma evidência científica de que a estimulação do mamilo vai ajudar a induzir o parto. Mas uma coisa é certa, estimulação do mamilo aumenta a produção de ocitocina no organismo, que por sua vez contribui com contrações. Logo existe uma possibilidade de ajudar. 

 

  • Comer ananás – o ananás contém a enzima bromelina que estimula a produção de prostaglandinas, mais um truque

 

 

  • Banho quente - Banho quentetambém colabora e muito para o trabalho de parto. Além de aliviar as dores que por ventura a mulher esteja sentindo, também relaxa a musculatura corporal. Banhos mornos com massagem nas costas ajudam a acelerar o trabalho de parto. Bolsa de água quente ou morna na região lombar também é uma boa ideia, ela faz às vezes do banho e pode ser tão relaxante quanto. Rir e beijar na boca são ótimas dicas! Além de manter o bom humor, vão ajudar na liberação de ocitocina e endorfina, que ajudam a lidar melhor com as dores além de afirmar o vínculo com o pai do bebê. Dê boas gargalhadas e beije bastante...

 

As contrações são naturalmente o sinal do inicio de todo o processo de trabalho de parto, pelo que a mãe e o bebé têm um papel primordial no desenrolar do mesmo. O bebé tem o seu caminho para construir e através de movimentos próprios em conciliação com as contrações ajuda a aumentar a pressão sobre o colo do útero. A mãe por sua vez pode arranjar estratégias facilitadoras de conduzir o seu trabalho de parto, minimizando a possibilidade de ter um parto instrumentado.

Estas técnicas são vantajosas não só quando está ainda numa fase inicial do trabalho de parto, de forma a que comece a dilatação do colo, mas são também importantes para acelerar o trabalho de parto quando este já está instalado, mas para isso é necessário que sejam ditas, desenvolvidas e praticadas com alguma antecedência.

Namorar, andar e rir…. Boas estratégias para um final feliz

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D