pre parto, gravidez, pos parto

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mamã tranquila

Vamos falar de preparação para o parto, parto, recém-nascido e todo o tipo de assuntos relacionados com este tema...

mamã tranquila

Vamos falar de preparação para o parto, parto, recém-nascido e todo o tipo de assuntos relacionados com este tema...

Bola de Pilates


Mamã Tranquila

18.04.18

A bola de Pilates pode ajudar bastante a acalmar as dores na coluna durante a gravidez e também na altura da dilatação.

Existe uma bola de Pilates adequada para cada estatura.

bolas.jpg

 

Quanto mais cheia a bola mais difícil é se permanecer em cima dela, por isso é melhor que não esteja totalmente cheia.

Na Gravidez

Sentem-se na bola com o apoio de alguém ou de uma cadeira/sofá. Afastem os pés cerca de 50 a 60 cm um do outro e lembrem-se de manter a coluna bem direitinha.

Só de sentarem assim a região do assoalho pélvico já estará sendo favorecida e os músculos fortificados o que é ótimo durante a gravidez e ajudará no trabalho de parto. A posição também alivia a dor nas costas e deixa o bebê numa posição mais confortável.

Quando estiverem bem apoiodas podem começar a fazer exercícios leves!

  • Balancem a anca devagar de um lado pro outro ou façam movimentos circulares. Fazendo 10 repetições para um lado e depois 10 para o outro.
  • Façam um simbolo do infinito com a anca (um 8), movendo devagar. (Cuidado para não se desequilibrarem)
  • Sentem-se com cuidado na bola, coloquem ambas as mãos por baixo da barriga para oferecer suporte e com movimentos delicados para cima e para baixo. Descanse após 10 repetições ou menos.

Exercícios-para-acelerar-o-trabalho-de-parto-1.jpg

 

No Trabalho de Parto

Se puderem levem a vossa bola para a sala de parto. Hoje em dia quase todos os hospitais têm para emprestar.

 Sentar, rebolar ou os movimentos em forma de oito durante as contrações pode ajudar a aliviar as dores.

  • Ajoelhe-se no chão (pode apoiar os joelhos em uma almofada), abrace a bola contra o peito e jogue o corpo para frente apoiando os ombros e peito na bola, isso vai relaxar a lombar e até a barriga.

 

 

posições7.jpg

 

No Pós parto

Após o parto podem fazer os mesmos exercícios que faziam na gravidez, ajudam desta forma a região pélvica a voltar ao normal.

 

 

Respiração no Trabalho de Parto


Mamã Tranquila

16.04.18

respiraçao.jpg

 

A tendência natural é para a mãe começar a respirar de forma demasiado rápida e superficial. Embora essa seja a reação natural do corpo, a mãe necessita de compreender técnicas para controlar a respiração, por isso a importância dos cursos de preparação. Ao aprender formas de controlar a sua respiração no TP, a grávida vai obter mais energia e dar ao seu bebé mais oxigénio.

Se não consegue respirar da forma apropriada, facilmente se descontrola e é conduzida ao cansaço. Importante relembrar que o bebé também está em stress, por isso é necessário que mantenham uma respiração ritmada.

Devem também ter em conta que a inspiração não pode ser muito mais rápida do que expiração. Quando inspirar, devem fazê-lo lentamente.

CONCENTRAR NA RESPIRAÇÃO

Concentrem-se na vossa respiração. Inspirando de forma natural, tendo em atenção que ao expirar deve fazê-lo com força e de forma mais prolongada, tentado libertar a tensão de todo o seu corpo.

 INSPIRAR PELO NARIZ E SOPRAR PELA BOCA

Inspirem sempre pelo nariz e soltem o ar pela boca. Como se estivessem a cheirar uma flor e depois a soprar uma vela, mas mais lentamente. Enchendo bem o peito de ar e depois deitar fora

Na respiração no trabalho de parto é ainda mais importante manter esta ordem. Não tenham vergonha de fazer mais barulho ao expirar, se isso vos ajudar.

Podemos usar este tipo repiratório até nos sentirmos confortaveis. 

SOPRAR

Quando estamos numa fase mais adiantada da dilatação, podemos precisar de usar um tipo respiratorio mais rápido.

Soprando fazendo bochechas... e aumentar a frequencia, conforme aumenta a contração.

É um tipo respiratório que seca mais a boca.

 

ACOMPANHANTE

Ajuda maravilhosa durante o TP. Se o acompanhante fizer a respiração da mesma maneira que a grávida, será de certo fácil para a futura mãe seguir, tornando-se também um momento de partilha.

Concentração é a palavra de ordem, seja na própria respiração ou na de quem a acompanha.

 

 

É importante salientar que a respiração no trabalho de parto não deve ser apenas na altura do verdadeiro TP. Deve ser trabalhada durante toda a gravidez, de modo a se tornar uma rotina e estar bem presente na altura necessária, para que no momento do trabalho de parto possa fazê-lo naturalmente, sem ter de preocupar a pensar como respirar da forma mais adequada.

 PS - Acham necessário eu fazer um filme a explicar??? ou este serve????

Dilatação


Mamã Tranquila

10.04.18

Fases do trabalho de parto

Considera-se que o trabalho de parto (TP) se divide em três períodos:

 

  • O primeiro período (dilatação) estende-se desde o início da contratilidade regular até à dilatação completa do colo do útero (cérvix).

 

  • O segundo período corresponde à descida e expulsão do feto (período expulsivo).

 

  • O terceiro período (dequitadura) estende-se do nascimento do feto até à expulsão da placenta e membranas.

 

 

duraçao TP.jpg

 

O primeiro período divide-se habitualmente em duas fases:

 

Fase latente, desde o início do trabalho de parto até cerca dos 3-4 cm de dilatação do colo, e Fase ativa, desde esse momento até à dilatação completa.

 

O trabalho de parto espontâneo é antecedido por uma etapa que pode ser designada por período pré-parto, que decorre nos dias (ou semanas) que antecedem o início da contratilidade regular e dolorosa.

Nesses dias pode surgir contratilidade uterina irregular, normalmente desconfortável mas não dolorosa, sensação intervalada de pressão pélvica, casualmente com aumento do corrimento vaginal de tipo mucoso por vezes acastanhado (que corresponde à expulsão do chamado “rolhão mucoso”).

 Ao toque, o colo do útero encontra-se amolecido e encurtado, vai-se alinhando para a entrada da vagina e, por vezes, permite a introdução de um dedo do médico ou enfermeiro.

 

Importante referir, que em termos de TP, ele só começa verdadeiramente quando temos o colo do útero apagado e se inicia a dilatação. Por isso é que muitas vezes já temos contrações dolorosas e vamos para o hospital e dizem para voltarmos para casa, ou ir andar mais um bocado…

A evolução do TP varia de acordo com a paridade da grávida, ou seja, nas nulíparas (grávidas que nunca tiveram filhos) o apagamento (encurtamento) do colo do útero dá-se antes do início da dilatação.

Ao contrário, das multíparas (grávidas que já tiveram pelo menos um filho) o apagamento e a dilatação do colo são simultâneos, pelo que é vulgar estas mulheres já terem o colo permeável a 2-3 dedos mas ainda sem apagamento completo do canal cervical.

Em qualquer dos casos, o período expulsivo só se inicia quando o colo está completamente apagado e a dilatação está completa, isto é, o colo já não se interpõe entre a vagina e a apresentação fetal.

Em resumo, podemos dizer que num primeiro parto pode ter uma duração de 10 a 18h, pensando que cada cm de dilatação corresponde a uma hora. Num segundo parto todo este processo pode ser mais rápido passado a 6 a 10h. No entanto, varia sempre de mulher para mulher e do seu controlo durante o TP…

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D